Pular para o conteúdo principal

Mauro Kwitko: A releitura da nossa infância sob a ótica reencarnacionista


A Psicologia tradicional procura a causa de tudo na infância de seus pacientes. Nós procuramos entender a infância das pessoas, sob a ótica reencarnacionista. Para a visão oficial, ela é o início da vida; para nós, é a continuação, sendo assim, tem uma estrutura organizada pelo Universo, segundo as Leis Divinas. Devemos entender e conversar com nossos irmãos no consultório sobre isso. O dia de amanhã é aleatório ou é a continuação de hoje? O ano que vem não é a continuação desse ano? A nossa próxima encarnação é a continuação dessa. Se alguém não gostou de sua infância, por que a precisou? Por que a mereceu? Tudo na nossa vida é feito por nós mesmos e a nossa infância é o que necessitamos para começarmos a perceber nossas inferioridades, é onde começamos a nos reconhecer.

Por que um nasce em uma família rica? E outro em uma favela? Muitas pessoas referem que sua infância foi muito dura, passaram por dificuldades, quer seja de ordem afetiva ou financeira, problemas com um dos pais, ou com ambos, ou com outras pessoas. Muitas permanecem com esses traumas pelo resto de sua encarnação, influenciando gravemente seu comportamento. A maioria das doenças crônicas como asma, reumatismo, problemas cardíacos, digestivos, renais, etc., surgem por questões da infância e encontramos nas pessoas, por trás dos sintomas físicos, bloqueios emocionais como mágoa, ressentimento, medos, raiva, tristeza e insegurança. E os sentimentos vêm dos pensamentos, e esses vêm do Ego, ou seja, a ilusão da ilusão. E enquanto isso, a Medicina do corpo físico fica tratando apenas os órgãos, as partes, e buscando os seus vilões: as bactérias e os vírus.

Os doentes, mesmo os reencarnacionistas, acreditam que os sintomas emocionais têm sua origem lá no início dessa atual trajetória terrena. Mas a experiência das regressões mostra que se esses sentimentos e essas tendências são intensas, já nasceram conosco e foram aflorados, não gerados, na infância pelas situações "injustas". Sabemos que a mágoa, a raiva, o medo, a insegurança, etc. são os fatores causais mais freqüentes das doenças crônicas... então, como resolver isso? Aí entra a Psicoterapia Reencarnacionista para o esclarecimento de nossas questões kármicas e reencarnatórias. Devemos ajudar as pessoas em tratamento a fazer uma releitura de sua infância, a entender as Leis que estruturam uma infância, a Lei do Retorno, a Lei do Merecimento, a Lei da Necessidade. Essas Leis fazem com que passemos por situações que provocamos em outras vidas (abandono de filhos, por exemplo), vivenciemos o que fizemos a outros, passarmos pelo que merecemos, pelo que precisamos.

Devemos lembrar para as pessoas em tratamento que não nascemos perfeitos, e, sim, trazemos sentimentos e características inferiores para tentar aqui melhorá-los, ou eliminá-los. Devemos mostrar-lhes que não devem continuar acreditando que toda aquela sua mágoa, aquela sua raiva, aquele medo, insegurança, iniciaram na infância, como se eles tivesse nascido perfeitos, que não trouxessem esses sentimentos consigo ao nascer. A Psicologia oficial criou uma concepção (não-reencarnacionista) de que tudo nosso surgiu na infância, e fazer as pessoas se libertarem dessa inverdade não é uma tarefa fácil. É como o mito da pureza da criança... mas que pureza? Apenas um ser perfeito, como Jesus, pode ter sido uma criança pura; nós não temos essa pureza, apenas as nossas imperfeições e inferioridades ainda estão latentes, aguardando as armadilhas e os gatilhos para se manifestarem.

O psicoterapeuta que é reencarnacionista deve saber e lembrar para as pessoas que pai e mãe são também Espíritos e, mais do que provavelmente, vimos nos encontrando freqüentemente nessas passagens terrenas, e que eles também aqui estão tentando eliminar suas imperfeições, buscando purificar-se. Devemos reconhecer em nós e falar sobre os rótulos temporários e ilusórios da encarnação, pois é preciso entender que ninguém é pai, mãe, filho, irmão, marido, esposa, etc., apenas as Personalidades terrenas acreditam que são. Relembrando para as pessoas essas verdades óbvias, e eles entendendo que não nascemos puros e estando cientes da relatividade dos rótulos, vamos conversando sobre o por que ter nascido naquela família, naquele ambiente, filho daquele pai, daquela mãe, estar passando por tal ou qual situação, etc. O objetivo é ajudar as pessoas a entender o que é estar encarnado aqui, em um Plano Físico, de natureza passagei­ra, a enfrentar essas situações, superá-las, e mostrar-lhes que, em tornando-se vencedores de seu destino, alcançarão a meta única da Reencarnação: a evolução. E isso é atingi­do ou não, dependendo da atuação da nossa Personalidade Inferior, o que é diretamente proporcional aos nossos pensamentos e sentimentos, e ao alinha­mento com a nossa Essência, através da rendição do nosso Ego.


O grande erro é esquecermos de quem na realidade somos e cairmos na vitimação, no sentimento de "coitadinho de mim", de injustiçado, a grande causa das doenças emocionais e mentais e suas posteriores repercussões físicas.

Nós temos a infância que precisamos e essa é uma das tarefas do psicoterapeuta reencarnacionista: ensinar para as pessoas como reler sua infância sob a ótica da Reencarnação. A infância é a continuação da vida anterior e ela é o que a Perfeição quer que nós vivenciemos aqui na Terra, dessa vez. Os gatilhos começam na infância e se nós descemos lá da Luz para vivenciarmos os gatilhos necessários para mostrar o que temos de melhorar em nós, aí está o primeiro palco onde vivenciaremos os gatilhos. A maior parte dos doentes tropeçam nos gatilhos pois lêem sua infância como um início e, freqüentemente, não se conformam com ela, não a aceitam, mas não se perguntam: Por quê vim filho desse pai? Por que Deus me enviou para essa mãe? Por que sou bonito? Por que sou feio? Por que sou alto? Por que sou baixinho? Por que sou branco? Por que sou negro?

A pergunta “Por quê?” nos ajuda a entender um pouco da nossa infância e das pessoas que nos procuram no consultório. O merecimento é uma das chaves dessa compreensão. A necessidade é outra. E o retorno, a terceira chave. Podemos abrir as portas da compreensão a respeito da infância através da releitura reencarnacionista. Essa visão da Psicoterapia Reencarnacionista amplia muito a nossa possibilidade de realmente aproveitarmos uma encarnação. Mas lembrem-se: primeiro em si, depois nos outros.


E lembremos também que estamos preparando a nossa próxima infância... O que iremos precisar nela? Que tipo de pai? Que tipo de mãe? Que tipo de família? Que classe social? Em que país? Em que cor de “casca”? 


* Mais um “post” no Blog Sol do Everest do Mauro Kwitko, que esclarece dúvidas sobre a Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica (método ABPR - Conduzida pelos Mentores Espirituais).

Contatos p/ Atendimentos: 


- Site Profissional:
 www.soldoeverest.com.br
- E-mail: 
jefferson@soldoeverest.com.br 
- Cel.: (11) 9 7345-7878.
- Endereço: End. 1: Rua Santa Cruz, 2009 - Vila Mariana (Próximo as estações do Metrô Linha Verde - Santos-Imigrantes e Alto do Ipiranga) 

                   End. 2: Rua Dona Ana Pimentel, 225J – Água Branca – São Paulo – Próximo ao Parque da Água Branca - Espaço Astrolábio Centro Terapêutico

Para ler mais artigos sobre a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressões Terapêuticas pelo método ABPR (Sessões de Telões), Vidas Passadas, Reencarnação, Terapia, acompanhem através do meu Blog da Psicoterapia Reencarnacionista em São Paulo: http://psicoterapia-reencarnacionista.blogspot.com.br/


O Blog da Psicoterapia Reencarnacionista em São Paulo, tem como objetivo principal a ampliação, divulgação e esclarecimentos deste magnífico trabalho codificado pelo Mauro Kwitko, do mundo espiritual para o consultório.


Para ver vídeos e ouvir
 áudios do Mauro Kwitko, acesse o Canal Sol do Everest no link: www.youtube.com/soldoeverest

Para conhecer mais sobre o Mauro Kwitko, acesse:


Postagens mais visitadas deste blog

Brian Weiss - Sobre Almas Gêmeas.

Em "SÓ O AMOR É REAL", Brian Weiss revela que cada um de nós possui alguém que nos acompanha pela eternidade. Alguém que já tivemos a felicidade de encontrar ou que está à nossa procura, porque fomos destinados, para sempre, um ao outro.

Não há coincidências no amor. "A alma do homem é como a água; vem do céu, e sobe para o céu, para depois voltar à Terra, em eterno ir e vir". O destino determina o encontro de almas gêmeas. Sem dúvida, estamos fadados a encontrá-las. Mas o que decidimos fazer depois desse encontro depende de opção ou de livre arbítrio. Uma opção errada ou uma oportunidade perdida pode resultar em incrível solidão e sofrimento. Escolhas certas e oportunidades realizadas podem trazer-nos profunda satisfação e felicidade.

Para cada um de nós, existe alguma pessoa especial. Muitas vezes existem duas, três ou mesmo quatro. Todas vêm de gerações diferentes. Atravessam oceanos de tempo e profundidades celestiais para estarem conosco novamente. Vêm do outr…

Jefferson L. Orlando: A mudança acontece de dentro para fora...

A tão esperada virada do jogo começa dentro de nós, para só assim então, colocarmos ela em prática para fora em nossas atitudes e ações.
Não existe mudança verdadeira, quando a atitude parte somente de fora.
Não se engane querendo mostrar atitudes externas que não condizem com as internas, quando o silêncio da noite chegar e no seu íntimo você acessar, no mesmo momento irá saber que tem algo ai dentro que não mudou.
Para mudar é preciso coragem, determinação, foco, objetivo, garra e principalmente a tão esperada mudança nos padrões de pensamentos.
Se acostumar com os pensamentos a que vem tendo desde criança até hoje é fácil, não precisar mudar nada e chega a ser cômodo. Sair da zona de conforto às vezes é crucial, mas quase ninguém quer sair do conforto de não precisar colocar as mãos na massa da transformação.
A zona de conforto, não é necessariamente uma área em que a pessoa esteja vivendo uma vida ótima, com um excelente emprego, uma família equilibrada, um feliz relacionamento amoroso…

Bruno J. Ginemes - Aprenda a abrir o seu fluxo de bênçãos.

Neste momento em que você lê este texto você pode estar passando por umas das seguintes fases : a)Está com problemas, em um período de sofrimento ou conflitos; b)Está com crie de identidade, sem entender bem o seu propósito na vida, sem saber que rumo seguir; c)Está em um período de extrema acomodação, procrastinando as atitudes que podem lhe levar para um novo patamar, além disso é possível que esteja se autoboicotando para não dar novos passos em busca de metas diferentes. Mesmo que a sua vida corra bem, ainda sim, sabe que poderia estar fazendo mais por você e pelo mundo; d)Está em depressão, sem forças para lutar, sem energia para criar ou sem vontade de viver; e)Está com raiva das situações que anda acontecendo contigo, sentindo revolta e percebendo o mundo com o entendimento de que alguma coisa errada está acontecendo com você; f)Sentindo que tudo é injusto, que as oportunidades não vem, que as pessoas não são legais com você, que o amor verdadeiro é uma ilusão dos filmes e que parece…