Pular para o conteúdo principal

Zíbia Gasparetto - Reencarnar, pra quê?



Assim como as pessoas têm muito medo de morrer porque não sabem o que irão encontrar na outra dimensão, os espíritos que estão vivendo no astral têm medo de reencarnar.

Esquecer o passado e mergulhar no mar encalpelado do mundo, enfrentar seus próprios limites e os desafios de seu crescimento é assustador. Controlar as emoções, ordenar a mente, experimentar as próprias idéias e enfrentar os resultados requer coragem, persistência. Ficar entregue ao próprio discernimento, tomar decisões, ser responsável pelo próprio destino atemoriza.

Para o espírito, reencarnar é como vestir um escafandro e mergulhar nas profundezas do oceano. O corpo de carne tem um metabolismo lento, muito diferente da vida astral, onde tudo é mais dinâmico e rápido. Lá, a força do pensamento materializa rapidamente os objetivos, de acordo com a capacidade de cada um, criando e movimentando os elementos.

Aqui, na Terra, nossos projetos levam muito mais tempo para se tornar realidade. Para construirmos um edifício levamos muitos meses, enquanto lá eles o fazem em algumas horas..

- Como?! Há prédios no astral? – alguns vão perguntar.

Há prédios, ruas, cidades, tudo. O que chamamos de astral são os mundos das outras dimensões do universo.

Cada um deles gravita em determinada faixa de ondas, possui um magnetismo próprio e, para os que vivem lá, tudo é tão sólido quanto para nós é nosso mundo.

Não os podemos ver porque nossos olhos enxergam apenas em limitada faixa de percepção, o que não os impede de continuar existindo. A limitação é nossa. Os micróbios existem, mas só os podemos ver se tivermos um microscópio.

- Se eles têm medo, porque reencarnam?

Para reeducar o emocional. No astral as emoções são muito mais fortes e profundas. A tristeza, o remorso, o arrependimento, a frustração, a mágoa tornam-se insuportáveis e chega um momento em que, cansado de suporta-las, o espírito aceita nascer na Terra. Para ele, o esquecimento será uma bênção. O magnetismo lento permitirá que ele medite mais, experimente, reflita, conheça-se melhor e amadureça.

Reencarnar na Terra é começar de novo. Todas as lembranças do passado são guardadas no inconsciente temporariamente e, embora possam influenciar intuitivamente o espírito reencarnado, ele estará em sintonia com o cérebro do novo corpo, que como um filme virgem vai registrar as novas experiências. Não é genial?

A vida, mágica e divina, vai tecer os acontecimentos, juntar pessoas, de acordo com as necessidades daquele espírito, e criar estímulos a que ele se torne mais consciente, liberte-se dos antigos padrões de crença que o levaram ao sofrimento. Se ele aproveitar, voltará ao astral mais lúcido e feliz.

A vida é um eterno agora, e nós continuaremos sendo o que fizermos de nós, seja onde for que passemos a viver. Enfrentar nossas dificuldades desde já, fazer nosso melhor, é construir nossa paz.

Zíbia Gasparetto

Canal Sol do Everest: www.youtube.com/soldoeverest

Postagens mais visitadas deste blog

Brian Weiss - Sobre Almas Gêmeas.

Em "SÓ O AMOR É REAL", Brian Weiss revela que cada um de nós possui alguém que nos acompanha pela eternidade. Alguém que já tivemos a felicidade de encontrar ou que está à nossa procura, porque fomos destinados, para sempre, um ao outro.

Não há coincidências no amor. "A alma do homem é como a água; vem do céu, e sobe para o céu, para depois voltar à Terra, em eterno ir e vir". O destino determina o encontro de almas gêmeas. Sem dúvida, estamos fadados a encontrá-las. Mas o que decidimos fazer depois desse encontro depende de opção ou de livre arbítrio. Uma opção errada ou uma oportunidade perdida pode resultar em incrível solidão e sofrimento. Escolhas certas e oportunidades realizadas podem trazer-nos profunda satisfação e felicidade.

Para cada um de nós, existe alguma pessoa especial. Muitas vezes existem duas, três ou mesmo quatro. Todas vêm de gerações diferentes. Atravessam oceanos de tempo e profundidades celestiais para estarem conosco novamente. Vêm do outr…

Jefferson L. Orlando: A mudança acontece de dentro para fora...

A tão esperada virada do jogo começa dentro de nós, para só assim então, colocarmos ela em prática para fora em nossas atitudes e ações.
Não existe mudança verdadeira, quando a atitude parte somente de fora.
Não se engane querendo mostrar atitudes externas que não condizem com as internas, quando o silêncio da noite chegar e no seu íntimo você acessar, no mesmo momento irá saber que tem algo ai dentro que não mudou.
Para mudar é preciso coragem, determinação, foco, objetivo, garra e principalmente a tão esperada mudança nos padrões de pensamentos.
Se acostumar com os pensamentos a que vem tendo desde criança até hoje é fácil, não precisar mudar nada e chega a ser cômodo. Sair da zona de conforto às vezes é crucial, mas quase ninguém quer sair do conforto de não precisar colocar as mãos na massa da transformação.
A zona de conforto, não é necessariamente uma área em que a pessoa esteja vivendo uma vida ótima, com um excelente emprego, uma família equilibrada, um feliz relacionamento amoroso…

Bruno J. Ginemes - Aprenda a abrir o seu fluxo de bênçãos.

Neste momento em que você lê este texto você pode estar passando por umas das seguintes fases : a)Está com problemas, em um período de sofrimento ou conflitos; b)Está com crie de identidade, sem entender bem o seu propósito na vida, sem saber que rumo seguir; c)Está em um período de extrema acomodação, procrastinando as atitudes que podem lhe levar para um novo patamar, além disso é possível que esteja se autoboicotando para não dar novos passos em busca de metas diferentes. Mesmo que a sua vida corra bem, ainda sim, sabe que poderia estar fazendo mais por você e pelo mundo; d)Está em depressão, sem forças para lutar, sem energia para criar ou sem vontade de viver; e)Está com raiva das situações que anda acontecendo contigo, sentindo revolta e percebendo o mundo com o entendimento de que alguma coisa errada está acontecendo com você; f)Sentindo que tudo é injusto, que as oportunidades não vem, que as pessoas não são legais com você, que o amor verdadeiro é uma ilusão dos filmes e que parece…