Pular para o conteúdo principal

Mauro Kwitko: Uma Visão Ética da Regressão Terapêutica


Muito se tem falado, hoje em dia, sobre esse novo método terapêutico, baseado na revivência de fatos do passado, seja dessa ou de outras encarnações. Em palestras, nos cursos de formação que venho ministrando há vários anos, em entrevistas, etc., vejo o interesse que esse tema desperta nas pessoas. A regressão tem uma ação terapêutica potencial que é a de poder desligar a pessoa de situações traumáticas de uma ou mais encarnações passadas, às quais está ligada, como se ainda estivesse lá. Por exemplo, uma paciente que me dizia sentir-se ‘presa’, que ‘não andava’, não ia pra frente, regrediu a uma vida passada, em que era uma menina paralítica numa cama. Uma paciente, rotulada como esquizofrênica, há mais de 15 anos sendo internada e tomando antipsicóticos - que ouvia vozes que diziam que ela estava podre - que cheirava mal, viu-se numa vida passada isolada por sua família em um quarto com uma doença horrível de pele e lá, naquele quartinho, ela me dizia que ouvia as pessoas comentando que ela estava podre, que cheirava mal, ou seja, as vozes que ela ouvia hoje vinham de lá. Um paciente rotulado de paranóico, pois sentia-se perseguido, referiu uma vida passada em que estava sendo perseguido por soldados inimigos, ou seja, sua sensação de perseguição era real, mas vinha de outra vida.

Pode-se perceber, então, que estamos falando da Psiquiatria do futuro, quando a Reencarnação será incorporada à essa Instituição, e esse é um dos principais objetivos da nova Psicoterapia Reencarnacionista, que estamos criando aqui em Porto Alegre/RS, Brasil, com a ajuda do mundo espiritual e que, em 20 ou 30 anos, estará difundida em toda a crosta terrestre. As sessões de regressão duram, em geral, de 2 a 3 horas, e nelas o paciente revive fatos traumáticos de 1 ou 2 encarnações passadas, além dos períodos “inter-vidas”, aonde acessa muitas informações importantíssimas para o seu real aproveitamento da atual encarnação.

Mas é de fundamental importância que a Regressão seja realizada de uma maneira “cosmo- ética”, sem que o terapeuta infrinja as leis karmáticas. No início do meu trabalho como terapeuta de regressão, cometi alguns erros que vim corrigindo com o tempo. Eu pretendia realizar a regressão, estabelecia o que o paciente devia acessar, incentivava o reconhecimento de pessoas na vida em que se encontrava, etc. Mas, com o tempo, o mundo espiritual veio me aconselhando e hoje em dia posso afirmar que realizo uma regressão ética, em que não sou eu quem dirige o processo, e sim o Guia Espiritual do paciente, e não incentivo o reconhecimento de pessoas, pois isso infringe o Karma entre elas. Como faço regressão hoje em dia? Auxilio o paciente a promover um bom e profundo relaxamento em seu corpo físico e - após - a expandir a sua Consciência, imaginando que está subindo, crescendo... Após 20 a 30 minutos, com a sensação corporal bastante diminuída e sua Consciência expandida, o seu Guia Espiritual tem condições de levá-lo a encontrar uma situação traumática do seu passado, em que está ligado, como se ainda estivesse lá. A partir daí, meu trabalho é apenas de incentivá-lo a continuar me contando o que está acontecendo, até o final da situação, mas não termina nesse momento; incentivo-o a continuar seu relato até o seu desencarne naquela vida, a continuar me contando até subir para o Astral, até eu perceber que está melhorando, que tudo está passando, até me referir que está sentindo-se bem. Aí eu vou preparando o final da sessão, digo a ele então que pode relaxar, pode permanecer em silêncio, e vamos encerrando a sessão.

Por que faço isso? Antes de utilizar esse método, algumas vezes numa 2ª sessão de regressão, o paciente retomava seu relato no ponto onde tinha parado, mesmo desencarnado, algumas vezes mesmo já no Astral, e eu percebia que ele ainda não estava bem. Por isso, decidi passar a realizar uma Regressão completa, que vai desde a situação traumática até a pessoa estar no Astral sentindo-se bem, quando refere que já não sente mais aquele medo que sentia, aquela raiva, aquele sentimento de rejeição, aquela solidão, etc., a dor da facada, do tiro, etc.

A maioria dos terapeutas de regressão faz o paciente reviver apenas até o final do trauma do passado, mas isso é uma regressão incompleta, pois, onde termina a regressão, fica a sintonia. Regressão é uma rememoração do momento traumático do passado onde a pessoa ainda ficou sintonizada, com a intenção de ajudá-la a libertar-se daquela sensação. Então, se podemos fazer a pessoa rememorar desde o trauma até quando estava sentindo-se bem lá no Astral, porque parar no meio do caminho, logo após o trauma? E é fácil fazer isso, é só levar o relato do paciente até seu desencarne naquela vida e incentivá-lo a continuar contando, após sair do corpo... para onde vai... agora que é um Espírito... que pode subir... o que acontece?
Vocês terão relatos maravilhosos da subida, do Plano Astral, e o paciente ficará sintonizado num momento bom, de libertação, e não mais naquele de logo após o trauma quando, freqüentemente, ainda sente dor, medo, tristeza, solidão, raiva, insegurança, etc.

Eu me coloco - numa sessão de regressão - como um auxiliar do Guia Espiritual do meu paciente. A minha função é promover um bom relaxamento do corpo físico e a expansão da sua Consciência, o resto do trabalho é realizado pelo mundo espiritual. E quem deve, ou precisa, submeter-se a uma regressão ao seu passado?
Quem não consegue curar-se de medos, de pânicos, de fobias, de depressão, etc., mas também quem quiser fazer, para ter uma certeza na veracidade da Reencarnação, não como uma mera curiosidade, mas sim buscando ampliar o seu autoconhecimento e o conhecimento sobre Reencarnação.

Nesses anos todos, em cerca de 1.000 sessões de regressão realizadas, escutando relatos de 3 a 4.000 encarnações, aprendi muito, e isso é o que venho passando nos livros, nas palestras e nos cursos de formação. Para mim, o mais importante de tudo, do ponto de vista psicoterapêutico, dentro dos critérios da nova Psicoterapia Reencarnacionista, é a personalidade congênita, que é o pilar dessa nova Escola. Nós somos como temos sido nas últimas encarnações, ou seja, quem é bravo e agressivo já era assim há centenas de anos, quem é medroso e passivo já era assim, quem é triste e magoado já era assim, quem é preguiçoso e irresponsável já era assim, enfim, cada um de nós é como vem sendo nas últimas encarnações. E aqui estamos novamente, procurando melhorar nossas características inferiores congênitas. Essa é a finalidade da Reencarnação e o paciente perceber isso em sessões de regressão, pode potencializar o seu aproveitamento dessa atual encarnação, seu desejo de transformação.

A Psicologia tradicional, que lida apenas com essa vida, não é adequada para nós, reencarnacionistas, não responde nossas perguntas, pois trabalha com uma premissa equivocada, que é a formação da personalidade, pois não aborda a Reencarnação. Ela afirma que nós formamos nossa personalidade na infância, não existíamos antes, mas existíamos, sim, o nosso Espírito já animou inúmeros corpos, inúmeras 'personas', em inúmeras encarnações passadas, e em todas elas nós tínhamos uma personalidade. Nós não formamos nossa personalidade na infância, nós aí mostramos quem e como somos, e os nossos pais, nosso meio ambiente e os fatos da infância e da vida, tendem a agravar ou a melhorar nossas características, tanto positivas como negativas.

A nossa infância é estruturada pelo Universo segundo as Leis do retorno, da finalidade e do merecimento. Não existe injustiça na Justiça Divina. Nós somos a conseqüência, a resultante, do nosso passado. E em nossa eterna busca de evolução e crescimento espiritual, na busca da Perfeição, necessitamos viver algum tempo, de vez em quando, em um lugar inferior e imperfeito, onde as nossas próprias inferioridades e imperfeições virão à tona. E onde é esse lugar? É aqui, e então aqui estamos. Para pagar, para sofrer? Não, para nos purificarmos, para nos libertarmos do “excesso de peso” que nos prende à força gravitacional desse planeta e do Plano Astral desse planeta. Precisamos nos tornar mais “leves”, e isso só pode ocorrer se nos livrarmos das inferioridades que ainda nos mantêm presos aqui, que são os “pesos”, e é esse o trabalho que deve ser feito, e tem que ser feito aqui, pois é aqui que estamos presos...

Estamos, na verdade, seguindo os passos do Dr. Freud, que descobriu esse mundo escondido, mas por sua limitação e dos seus seguidores, tudo isso ficou restrito apenas a uma encarnação, que equivocadamente chamam de “vida”. Nós estamos indo Inconsciente adentro! E o que encontramos? A Reencarnação.



* Mais um “post” no Blog Sol do Everest do Mauro Kwitko, que esclarece dúvidas sobre a Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica (método ABPR - Conduzida pelos Mentores Espirituais).

Contatos p/ Atendimentos: 


- Site Profissional:
 www.soldoeverest.com.br
- E-mail: 
jefferson@soldoeverest.com.br 
- Cel.: (11) 9 7345-7878.
- Endereço: End. 1: Rua Santa Cruz, 2009 - Vila Mariana (Próximo as estações do Metrô Linha Verde - Santos-Imigrantes e Alto do Ipiranga) 

                   End. 2: Rua Dona Ana Pimentel, 225J – Água Branca – São Paulo – Próximo ao Parque da Água Branca - Espaço Astrolábio Centro Terapêutico

Para ler mais artigos sobre a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressões Terapêuticas pelo método ABPR (Sessões de Telões), Vidas Passadas, Reencarnação, Terapia, acompanhem através do meu Blog da Psicoterapia Reencarnacionista em São Paulo: http://psicoterapia-reencarnacionista.blogspot.com.br/


O Blog da Psicoterapia Reencarnacionista em São Paulo, tem como objetivo principal a ampliação, divulgação e esclarecimentos deste magnífico trabalho codificado pelo Mauro Kwitko, do mundo espiritual para o consultório.


Para ver vídeos e ouvir
 áudios do Mauro Kwitko, acesse o Canal Sol do Everest no link: www.youtube.com/soldoeverest

Para conhecer mais sobre o Mauro Kwitko, acesse:

Postagens mais visitadas deste blog

Brian Weiss - Sobre Almas Gêmeas.

Em "SÓ O AMOR É REAL", Brian Weiss revela que cada um de nós possui alguém que nos acompanha pela eternidade. Alguém que já tivemos a felicidade de encontrar ou que está à nossa procura, porque fomos destinados, para sempre, um ao outro.

Não há coincidências no amor. "A alma do homem é como a água; vem do céu, e sobe para o céu, para depois voltar à Terra, em eterno ir e vir". O destino determina o encontro de almas gêmeas. Sem dúvida, estamos fadados a encontrá-las. Mas o que decidimos fazer depois desse encontro depende de opção ou de livre arbítrio. Uma opção errada ou uma oportunidade perdida pode resultar em incrível solidão e sofrimento. Escolhas certas e oportunidades realizadas podem trazer-nos profunda satisfação e felicidade.

Para cada um de nós, existe alguma pessoa especial. Muitas vezes existem duas, três ou mesmo quatro. Todas vêm de gerações diferentes. Atravessam oceanos de tempo e profundidades celestiais para estarem conosco novamente. Vêm do outr…

Machado de Assis - Eterno parênteses em aberto...

"Você é aquilo que ninguém vê. Uma coleção de histórias, estórias, memórias, dores, delícias, pecados, bondades, tragédias e sucessos, sentimentos e pensamentos. 

Se definir é se limitar. 

Você é um eterno parênteses em aberto, enquanto sua eternidade durar." 

Machado de Assis

Site:www.soldoeverest.com.br
Site no Somos Todos Um: www.stum.com.br/st13651
Canal Sol do Everest: www.youtube.com/soldoeverest

Jefferson L. Orlando: A mudança acontece de dentro para fora...

A tão esperada virada do jogo começa dentro de nós, para só assim então, colocarmos ela em prática para fora em nossas atitudes e ações.
Não existe mudança verdadeira, quando a atitude parte somente de fora.
Não se engane querendo mostrar atitudes externas que não condizem com as internas, quando o silêncio da noite chegar e no seu íntimo você acessar, no mesmo momento irá saber que tem algo ai dentro que não mudou.
Para mudar é preciso coragem, determinação, foco, objetivo, garra e principalmente a tão esperada mudança nos padrões de pensamentos.
Se acostumar com os pensamentos a que vem tendo desde criança até hoje é fácil, não precisar mudar nada e chega a ser cômodo. Sair da zona de conforto às vezes é crucial, mas quase ninguém quer sair do conforto de não precisar colocar as mãos na massa da transformação.
A zona de conforto, não é necessariamente uma área em que a pessoa esteja vivendo uma vida ótima, com um excelente emprego, uma família equilibrada, um feliz relacionamento amoroso…